Revestimentos

Revestimentos Termoplásticos

Poliamida 11 (PA11)

Polímero produzido a partir de matéria-prima renovável de origem vegetal, o ricinus communis (óleo de mamona) é um termoplástico ecológico que não libera componentes orgânicos voláteis. Sua avançada formulação não utiliza pigmentos baseados em metais pesados ou agentes de vulcanização. Desenvolvido há mais de 50 anos, é um material com alto nível de desempenho e com respostas eficazes para um crescente número de aplicações.

É utilizada para revestimento interno e externo de tubulares, válvulas, risers, fittings, entre outros, em peças novas ou usadas, mesmo com geometrias complexas para condições de operação, tais como:

  • operações em água salgada aerada;
  • água produzida (ou de injeção);
  • água de injeção doce;
  • injeção química corrosiva (hipoclorito de sódio);
  • injeção de CO2 em ambientes saturados;
  • zonas de variação de maré;
  • transporte de água potável;
  • transporte de vinhaça resfriada.

Possui notável desempenho físico e mecânico, incluindo:

  • boa resistência ao desgaste e UV;
  • boa estabilidade térmica e baixa absorção de umidade;
  • baixo coeficiente de atrito;
  • grande flexibilidade mecânica;
  • grande resistência à cavitação;
  • temperatura de operação de até 70°C.

É aprovada pela Petrobras DR-ENGP-1.1-R2 (antiga ET-200) para revestimento de válvulas para produção de petróleo e instalações de processamento.


Polietileno (PE)

O polietileno, datado comercialmente de 1950, é um termoplástico derivado do eteno, formulado com anidrido PE modificado para fornecer uma excelente adesão a metais ferrosos e alumínio.

Polímero em pó aplicado sobre superfície de metal jateado para proporcionar um revestimento uniforme e de alta qualidade. Temperatura típica de serviço do revestimento é de -40 a 85°C.

Além de proporcionar excelente proteção contra corrosão, o polietileno possibilita:

  • alta resistência a impacto e torção, mesmo em baixas temperaturas;
  • boa resistência química;
  • ótima resistência a abrasão;
  • especificação para injeção química corrosiva (hipoclorito de sódio), água de injeção doce ou salgada desaerada, água de injeção salgada e aerada, água salgada aerada.

É aprovado pela Petrobras DR-ENGP-1.1-R2 (antiga ET-200) para revestimento tubulares standard e materiais para produção de petróleo, unidades de processamento e sistemas marítimos.


Fluoropolímeros (ECTFE)

São materiais praticamente inertes, atóxicos, com baixo coeficiente de atrito e com excelente resistência química à maioria dos ácidos, bases, sais e solventes, exceto em situações muito especiais de concentrações e temperaturas. Outra característica é sua grande impermeabilidade a fluidos e gases dissolvidos, mantendo suas propriedades físico-químicas. São especialmente indicados para aplicações que exijam grande resistência química.

Sendo considerado o fluoropolíemero mais comum, o ECTFE possui:

  • excelente resistência química;
  • propriedades de isolamento elétrico;
  • ampla gama de temperaturas contínuas de utilização de criogênico a 150ºC;
  • ótima resistência a impacto, abrasão, permeação, intemperismo e aos raios UV;
  • resistência  a radiações e a praticamente todos os compostos orgânicos e inorgânicos conhecidos;
  • características de inibição do crescimento e a proliferação de micro-organismos (formação de  biofilmes e biofouling).

O ECTFE é aprovado pela Petrobras DR-ENGP-1.1-R2 (antiga ET-200) para revestimento interno de válvulas e tubulares para condução de petróleo bruto e água produzida.

Ok